Certificações



É uma preocupação constante do Grupo Farroupilha garantir aos seus clientes a qualidade, excelência e padronização dos produtos comercializados, motivo pelo qual, é credenciada aos selos Rainforest Alliance Certified e UTZ Certified.

Estes selos garantem que o café é produzido em suas lavouras com responsabilidade social e ambiental.

Para manter este padrão de qualidade é necessário seguir as normas socioambientais estabelecidas pela Rede de Agricultura Sustentável e passar por auditorias anuais. Assim, é possível promover a conservação e o uso sustentável dos recursos naturais, além de gerar benefícios sociais.

ISO 17025

Certificado - ISO 17025

O Laboratório de Sementes do Grupo Farroupilha possui a certificação ISO 17025. Esta certificação serve para comprovar que um laboratório executa suas atividades com precisão, garantindo que o resultado final seja de alta qualidade.

Certificado desde o ano de 2005 pela ISO 17025, o Laboratório de Sementes do Grupo Farroupilha pode comprovar sua capacidade de obter resultados exatos nos testes de germinação da soja, vigor e tetrazólio .

A certificação exige que vários procedimentos rígidos sejam seguidos pelo laboratório, garantindo os resultados com exatidão, equipamentos calibrados corretamente e os padrões de qualidade sendo sempre mantidos.




Rainforest Alliance

Certificado - Rainforest Alliance

A certificação Rainforest Alliance é um selo de aprovação para garantir aos consumidores que os produtos adquiridos são resultados de práticas realizadas de acordo com um conjunto específico de critérios, dentre eles, equilíbrio ecológico, econômico e social.

Este selo garante que os produtos e serviços oferecidos foram produzidos em conformidade com orientações rigorosas, protegendo o meio ambiente, vida selvagem, trabalhadores e consumidores.

A certificação disponibiliza às empresas orientações de como produzir com práticas eficientes para não esgotar os recursos e impactar, negativamente, o meio ambiente e as comunidades.

A certificadora Imaflora realizou auditoria no Grupo Farroupilha, em dezembro de 2008, no qual, obteve o selo Rainforest Alliance.

Visualize o Certificado ImaFlora 2013-2016


UTZ Certified

UTZ Certified

UTZ CERTIFIED é um dos maiores programas de certificação do mundo. Responsável por criar um mercado aberto e transparente para os produtos agrícolas, permitindo que os produtores de café demonstrem suas práticas e o cultivo eficiente. Além de, facilitar o acesso aos mercados compradores em escala global.

Assim, a certificação UTZ CERTIFIED acabou com o anonimato do mercado de café. Ela mostra de onde vem o café e assegura que foi produzido de forma responsável. O sistema de monitoramento Rastrear-e-Relatar oferece a oportunidade de acompanhar o manejo ao longo de toda cadeia para os mercados competitivos.

No mundo inteiro está expandindo o conceito dos consumidores relativo à qualidade de café. O sabor é importante, mas cada vez mais, as condições em que o café foi produzido são levadas em consideração.

O Grupo Farroupilha detentor da marca de café Special Urban Coffee atende a estes rigorosos códigos de conduta e possui a certificação UTZ CERTIFIED desde dezembro de 2005.

Visualize o Certificado UTZ


Café do Cerrado

Certificado - Café do Cerrado

O Certificado Caccer – Café do Cerrado foi desenvolvido pelo Conselho das Associações dos Cafeicultores do Cerrado, destinada aos produtores e armazenadores da região do Cerrado, que visa garantir a origem e qualidade do produto. As propriedades de café do Grupo Farroupilha foram certificadas pelo Caccer, em 2010.

Visualize o Certificado Café Cerrado




Certificação ABR e BCI:

Certificação ABR e BCI:

Todo o algodão produzido pelo Grupo Farroupilha foi certificado em junho de 2013 pelos Programas ABR(Algodão Brasileiro Responsável) e BCI(Better Cotton Initiative). Estes programas visam a implementação progressiva das boas práticas sociais, ambientais e econômicas nas fazendas que produzem algodão. Verificam como a propriedade lida com desenvolvimento sustentável, em especial, as relações trabalhistas, cumprimento de normas de segurança, proteção legal e preservação do meio ambiente e aplicação de boas práticas agronômicas na produção do algodão.